Widge
A cultura Nerd e como isso se relaciona com o seu dia a dia | Astrogeek
Sem categoria

A cultura Nerd e como isso se relaciona com o seu dia a dia

dia-orgulho-nerd-toalha-astrogeek

Rodolfo Cardoso traz um texto super interessante para o Dia do Orgulho Nerd

Há 40 anos, em um tempo muito muito distante, estreava nos cinemas norte-americanos o primeiro filme de “Star Wars”, posteriormente intitulado de “Uma Nova Esperança”.

Em 2001, uma comunidade inspirada pela obra “O guia do mochileiro das Galáxias” de Douglas Adams, passa a celebrar a data como “O dia da toalha” como uma forma de homenagear a carreira do autor e toda a sua importância para a cultura Nerd.

O dia 25 de Maio passou a ser conhecido mundialmente como uma data festiva para a cultura Nerd e seus adeptos: O dia do Orgulho Nerd.

O que antes era visto como um termo pejorativo e por características estereotipadas, hoje, com a ascensão da tecnologia e a constante popularização dos produtos de ficção científica, ganhou as graças da cultura Pop.

Já parou para pensar o quanto o tema se conecta com sua vida? Sabe aquele seu primeiro videogame que você passava horas jogando? Ou aquele filme que te emocionou na cadeira dos cinemas e você reviu ele tantas e tantas vezes? Ou então aquele seu primeiro computador e o quanto você ficou fascinado por como ele funcionava?

Perguntamos para a galera da NeoAssist como a cultura Nerd faz parte do que eles são hoje e quais as primeiras lembranças que eles possuem relacionadas ao tema. Os relatos vocês conferem logo abaixo:

Steve Gimenes

“Em 1998 eu tinha 12 anos e estava fazendo um cursinho de informática.

A grade curricular na época era:

– Sistema DOS

– Instalação e configuração do Windows 98

– Diagnósticos de disquetes e winchester

– Pacote MS Office 98

A internet era discada e não tinha redes sociais ou jogos online. Um amigo meu tinha comprado um Pentium 100 e estava doando seu outro computador.

Era um Pentium 386 com 12MHz de processamento, 4Mb de memória, HD de 8Gb, drive de disquete 3 1/4″ e outro de 3 1/2″. Tinha aqueles monitores de tubo de 14″. Não tinha placa de rede, ou seja, não tinha internet. Não tinha o Kit Multimedia, ou seja, não podia curtir um som.

O teclado era quase mecânico, parecia uma máquina de escrever. O conjunto todo já estava bem amarelado mas vinha com aquelas capas de plástico para conservar melhor o monitor, a CPU e o teclado. Fiquei supercontente com o presente, porque era meu primeiro computador.

Só tinha um problema: Eu não podia desligá-lo. Cada vez que ele desligava, perdia toda a memória e aparecia aquela famosa tela azul do Windows dizendo que a partição estava corrompida. Não adiantava passar o Scandisk, desfragmentador de disco ou restaurar a partir do disquete. Só podia usá-lo novamente depois de reinstalar o Windows e formatar o HD.

O problema era que o HD estava quebrado e não conseguia energia suficiente para segurar os dados que foram magnetizados no disco. Fiquei com ele por 1 ano nessa rotina de configurar para usar. Tudo isso para fazer os exercícios da escolinha e jogar “DOOM”, “Duke Nukem” e “Quake”. Depois disso ainda consegui vendê-lo para comprar as caixinhas de som de um computador novo.

Se você for Nerd, irá conhecer todos os termos propositalmente redigidos nesse texto.”

Silvio Oliveira

“Trabalho na área de TI, ok!

Star Wars? Vi apenas um dos filmes lá nos anos 80 ainda, e nem gosto.

Jogos online? Tô fora! Parei no Mega Drive, e nem me dou tão bem com jogos assim.

Acompanhar um milhão de séries ao mesmo tempo? ahh, isso não é comigo não!

Logo, acho que não sou Nerd!

Mas…Peraí!

O que dizer de um cara que assistiu mais de 40 vezes cada MadMax, decorando nomes de personagens e falas? O que dizer de um cara que cultua entre suas bandas favoritas, Rush (cujas letras são cheias de histórias Nerd, cujos próprios membros se classificam como Nerd Rockers!)?

Posso não ter meus bonequinhos de anime ou medievais em torno do meu computador, mas qualquer coisa tenho meus Comandos em Ação lá dos anos 80 para decorar também!

É, acho que me enquadro nesse mundo sim, e ainda crio uma nova categoria Nerd: O Nerd Oldschool!”

Mauê Vizaccro

“Eu tinha uns 10 anos, talvez até menos, quando assisti o primeiro filme do Harry Potter em VHS. Gostei tanto que pedi o livro para o meu pai. Eu sempre havia gostado de ler, mas esse livro me despertou uma grande paixão pela leitura. Durante anos, eu lia livro após livro, sobre mistério, ficção, romance, suspense, aventura, não importava o gênero.

Li muitas outras histórias com vários personagens marcantes, mas Harry Potter sem dúvida ainda ocupa um lugar especial no meu coração por ter sido o início de tudo. Acompanhei toda a saga até seu fim, e releio os livros quando sinto saudades da história e de seus personagens.”

Eduardo Soares

“Meu primeiro computador nem era meu. Minha mãe comprou pra ela trabalhar em casa nas horas extras. Era branco, com capas amareladas no gabinete, monitor e teclado. Bem diferente dos que temos hoje.

Não tinha internet no começo, então o que sobrava era jogar Pinball, Freecel, Copas, Campo Minado e desenhar no Paint. Lembro que meu irmão e eu disputávamos quem fazia mais pontos no Pinball.

Depois disso fomos evoluindo. Minha mãe instalou telefone em casa e tivemos nossa primeira internet, depois da meia noite, claro. Deixava a noite inteira baixando músicas e clipes, e muitas vezes quando acordava tinha dado erro no download. E lá se ia mais uma noite inteira para baixar novamente uma música de 3Mb. Baixava na época músicas do Linkin Park, Red Hot Chilli Peppers, Creed; os hits do momento.

Alguns anos depois o computador foi trocado por um Pentium II e nessa época já tinha uma internet melhor, que era via rádio: choveu, parou (pelo menos era mais rápida). Mas mesmo com essa ligação com tecnologia, não foi isso que me ligou a paixão que tenho hoje por ela.

Meu sonho mesmo era ser engenheiro civil, mas como a grana não dava eu fui no curso mais barato: matemática. Porém, no primeiro dia de aula já vi que não era aquilo o que eu queria.

Fui na secretaria procurar outro curso e achei um com um nome legal: Ciência da computação (inocente). Depois desse tempo comecei a me interessar mais por tecnologia e o sonho passou a ser programador (inocente 2).

Só que não era simples, principalmente para mim que só sabia ligar o computador e baixar músicas. Fui tentando, sofrendo e depois que um grande amigo me deu umas aulas, eu comecei a brincar. Enfim, aqui estou eu, 11 anos depois, programando e ainda aprendendo, afinal a tecnologia nunca para de evoluir.”

Yuri Soffner

“Desde os princípios eu era a criança que sentava afastado de todos e que só respondia o essencial. Minha maneira de interagir com todos era basicamente jogando algum jogo no PC. O primeiro deles foi o Tíbia.

Aos 12 anos criei minha primeira conta e comecei a me aventurar depois da meia noite, onde a internet não era cobrada, e escondido dos meus pais (desculpa hehe). Logo após 1 ano jogando, eu fazia um dinheirinho caçando monstros e vendendo alguns itens que dropava para meus coleguinhas de escola.

Depois de mais um ano jogando, eu resolvi criar um servidor desse jogo. Demorou muito, mas valeu cada tentativa. Abrangia muitas áreas de aprendizado, e foi onde eu notei que eu podia fazer qualquer coisa para a internet. Esse servidor foi a falência porque não pagava nem a internet discada.”

Jamaira Dias

“Ao invés de me descrever, resolvi perguntar a alguns amigos meus se eles me achavam Nerd e Geek quais as minhas atitudes que me definiam como estas características. As respostas foram muito parecidas.

Falaram de como eu sou uma pessoa antenada nas notícias sobre tecnologia e sobre a minha facilidade em conversar sobre filmes e séries, principalmente sobre os detalhes técnicos de produção. Pensei um pouco e vi que são atos do meu cotidiano, que eu nem imaginava que pudessem ser consideradas atitudes Geek.

É engraçado comparar minhas percepções e as opiniões dos meus amigos sobre mim, pois percebi algo que faz parte da minha vida desde sempre e é considerado “cool” para os meus amigos.”

Mas afinal, o que é ser Nerd?

Diferentes relatos. Diferentes personalidades. Diferentes estilos de vida.

Ser Nerd é muito mais do que uma definição de características ou um agrupamento de padrões.

Ser Nerd, por definição, é ser aficionado e entusiasta por algum assunto.

Ser Nerd é passar noites acordado fazendo algo que gosta.

Ser Nerd é dedicar seu tempo e interesse no que você ama fazer.

Então, que sejamos todos parabenizados.

 

Feliz dia do Orgulho Nerd!

 

Fonte: NeoAssist

Sobre o Autor

Bruno Rock

O cara de pau da equipe que mostra a cara no canal. Segue "nóis aê"!
Que a força esteja com vocês... Vida longa e próspera!